quarta-feira, 18 de setembro de 2013

SUBSTRATO




Na periferia da vida 
a palavra apenas soa
Tudo o que é periférico
é alterado da sua essência
O pensamento 
faz-se sentir com base nesses ecos
E a sua repercussão na carne
afluem como meteorito caído na crosta terrestre
Todo o pensamento que daí aflora
são fluidos estomacais
que não auferem a quantidade imensa do substrato corpóreo do pensamento


Um pensamento não dá alimento
mas dá-me muito que pensar...
Eleva-me para o monte das perspectivas
Onde nada me acrescenta na sua soma
e tudo me engrandece na medida em que se adorna
o sentimento ao corpo imenso
Na geometria analítica da minha forma

O todo não tem a racionalidade com que me iludo
se não a aritmética das coisas vãs

Sem comentários:

Publicar um comentário