terça-feira, 30 de dezembro de 2014

GRATIDÃO

De corpo franzino pela tenra idade um menino quisera esperar pelo seu mestre depois de mais um dia de treinos
Aguardou como a espera tem que ser. Paciente, lúcida e precisa.
Então ao aproximar-se o mestre do banco onde este jovem se tinhaa sentado, a criança descose-se da
sua timidez e dirigi-se ao professor interrompendo o silêncio daquele final de tarde
"Mister posso falar consigo?"
"Depende do conteúdo que tens para me dar"  
Respondeu num tom irónico o homem sorridente ainda que um pouco surpreendido
O petiz inspirou fundo e ganhou coragem soltando a frase que á muito houvera a marinar desejosa por se satisfazer
"Não lhe vou falar das suas opções, nem dos motivos porque não me leva a ser o titular...queria sim saber quais eram os pontos fracos que o Mister acha que eu tenho a limar, para assim poder de futuro evoluir"  
O homem olhou para o seu discípulo e enterneceu-se
Pôs-lhe a mão sobre os ombros e encaminharam-se os dois para se sentarem naquele banco de madeira, que dava às pedras da calçada motivos de se enobrecerem
"Mais do que qualquer razão ou aspectos do foro técnico-táctico, hoje rasgaste uma pagina insatisfeita e quiseste satisfazer o que em conflito não cosegues potenciar"
Como assim mister ?      
Perguntou o jovem curioso em querer
colmatar as suas pechas.        
"O passo mais importante para evoluir acabaste tu de o dar, pois para evoluir é preciso ceder para brotar as acções que se põem em prática... tens 15 anos e é natural que estejas a crescer, tens  ainda muitos aspectos a aprender, e o aspecto mais importante para evoluir acabaste neste instante de o fazer... Conceder-se para acreditar!"          
Os olhos do menor brilharam insuflados com a chama do saber e ambos firmaram a despedida com um aperto de mão como se de uma partida houvessem fechado uma jura
E sem se darem conta do inusitado, uma porta rangeu e abriu-se...

sábado, 27 de dezembro de 2014

EMBORA

"Bora"...
Anda romper o novo ano de distâncias
e fugir para um lugar onde a abundância,
não seja apenas
a puta da esperança a assobiar de fininho

"Bora"...
Se não souberes o caminho, eu envio-te por GPS a morada
Agora não te esqueças de ti, nem de nada
Insurge-te
Abraça-me
E vamos dar um "H" à "istória"

"Bora"?

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

DO INICIO AO FIM

Porque o fim para mim só tem um inicio...                              
Porque o amor para mim tem só uma sílaba...
Porque a distância de um beijo singulariza-me o caminho...
Porque todo o meu prazer desagua na história...
Porque a minha fome traz enrolado um sabor...  
Porque nos meus sonhos só há um nome...  
Porque em meu silêncio trago sempre um passado...  
Porque certo ou errado é contigo que eu quero estar
Do inicio ao fim.
Na conjugação simples de duas letras que te imploram    
Tu !
                                         
Se eu for um dia o tu que tu és para mim...
O  que será de nós ?

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

AORTA

Para quem se encontrar, desejo-lhe um bom dia        
Para quem se procura, uma boa sorte
E para aqueles que se iludem, o meu muito obrigado...
Pois um dia ao ter-me encontrado entendi,
que a vida para ser precisa, é necessário haver
quem se perca no caminho
Os recursos são escassos e o tempo, esse,
é sempre uma partida
Sem meta na chegada  
Nem pódios para coroar momentos, que ficaram a sós
nas bermas da estrada

De mãos arregaçadas estarei eu aqui, paciente
Sempre e sempre...
Até me concluires no diâmetro dessa artéria principal

domingo, 21 de dezembro de 2014

INSTANTES

Todos os momentos são instantes, vestidos de emoções
Como tal o estado de espírito é fundamental para que consistentes e precisos sejam os caminhos
por entre a variabilidade das opções

" escolheu outro alguém, ainda que eu saiba tão bem, que comigo estaria muito melhor servida"

Escapou-lhe assim este pensamento,
sem estrutura nem sustento, para apurar o pleno de uma verdade tão cruelmente digerida
E abriu um vinho enchendo o copo de tinto até ao fim...           Para que não restassem dúvidas de que o tormento seria afogado na embriaguez de um insano momento
Com calma enguliu a pouco e pouco o néctar até à ultima gota
Fluindo deste modo para uma noite que se abria dentro de si

Ignorantes são as entranhas que se marinam com o tempero do desespero, sem se importar minimamente com a fome da alma

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

NO MUNDO DAS BORBOLETAS

Depois de amar, só me resta cá voltar a vistir o corpo e constatar que lá fora impreciso o mundo é expectante comigo...
Para onde quer que eu vá, ele sorri para mim, para onde quer que eu vou, ele acena-me delirante a ir ter com ele, lá adiante, quando o foco de frente atentamente.
Mas eu é que de cá não saio, eu é que de cá não vou, pois francamente a melhor sensação que existe é realmente vestirmos a carne, sempre e depois, de fazermos amor.  Eu e tu, a dois...tão bom!

Desejas-me outra vez ?
Vá lá...
O mundo lá fora insiste !

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

MENTE APAIXONADA

Depois de um beijo, tudo ficou    
O tempo perdeu-se
Os olhos cegaram
Os dedos correram
As formas consulidaram-se
A respiração acelerou
Os pés pontificaram
A temperatura amadureceu
E o mundo parou
No, tu mais eu
Até que depois...
Bem, depois, tudo ficou
O dia nasceu
A luz raiou
As mãos vestiram-se
Os corpos apressaram-se
A boca sorriu
A pele roborizou
Um casaco apertou-se
E uma verdade ergueu-se, num peito agasalhado

Depois de um beijo o que restam são convicções
E certezas, que juntos somos mais que alguém

domingo, 14 de dezembro de 2014

DECISÕES



A decisão faz toda a diferença !
No dia em que dicidi olhar para ti todo o espaço em volta daquele instante  ruiu, deixou de existir
Não sem porém, que houvessem outros horizontes, ou outras formas a manifestarem-se
Mais tarde quando dicidimos dar o primeiro beijo, roubaste-me o chão, e o ar, e a força de querer cá voltar se um acordar, não fosse abrir os meus olhos, num imediato diante dos teus
E assim foram os meus dias...
Anos mais tarde quando dicidi pedir a tua mão em casamento foi para dizer ao mundo que um monumento também se enternece com alguém simples e vulgar, como eu
Amante confesso das noites imersas do teu morno
De decisão em decisões demos à união mais vida, um filho e uns tantos quilos de certeza
Porém dicidimos dar à decisão poderes de se engrandecer
E atribuimos-lhe um peso sem ponderação
Dicidimos que o amor desconfiava, que a união podia muito bem ser prisão, que as amizades podiam ser  afinal falsas verdades e que o sentido também se rasga no alcatrão das encruzilhadas
E dicidimos dar à decisão argumentos, para nos distanciar...

AVAREZA




"Se esperas equilibrar o passo com o proveito que levas à boca
Talvez a mão seja o órgão que mais te sofoca,  
a racionalidade da direcção"     
                                    

Arremessou-lhe estas palavras à cara
Olhando-a nos olhos... 
E despediu-se assim desta maneira
Não fosse mais uma vez cair na ratoeira e menosprezar o seu amor próprio
à muito vandalizado sob o espectro da paixão

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

FONTE DA JUVENTUDE



Tão fácil é gostar do sal quando escorrogadios e molhados

são os corpos lânguidos e suados...  

Abalroados na sede do prazer

Isto só para te dizer...

"O pensamento de um murmúrio"

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

INCOERÊNCIA

"O contrário do amor não é o ódio                                    
é a indiferença"
O oposto do silêncio não é o grito
é a fala
O oposto da dor também não é a cura
se não a saudade
Os opostos na realidade não se atraem
O que os motivam é a ignorância...
Na ânsia de um entendimento

Generosos são os gestos que sabem amar
por não admitirem respirar
a coerênte explicação

Os oposto não se atraem
o que os motivam são as reticências
Instinto animal que no imoral se concede
e objectiva no prazer

Se houvesse na explicação a capacidade de um entendimento
Qualquer arrependimento seria capaz de chorar tamanha tristeza

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

FLIRT

Todo o prazer que não é levado à boca é um gostar que se definha  
É uma satisfação que não enobrece
É um sabor que se perde e se entristece,
a prazo na memória

É no palato que se distingue uma História...

É na boca que a sede se enrola à língua
É nos dentes que se selam decisões
E é nos lábios que se definem as direcções
de um mundo lá fora impreciso

É só o sabor que distingue uma História

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

PIN


Todos os segredos são para serem guardados no limiar da loucura


Por isso todo o ser é uma constante procura


Entrelaçado num sonho equidistante

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

"DESCONSELHO"


Cada ângulo com a sua perspectiva...

Por mais conselho que seja um conselho
O respirar fundo é muito mais direcção

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

REFLEXO



Um reflexo é apenas o irreflexo dos momentos que trazes sem reflexão