terça-feira, 26 de agosto de 2014

MORALIDADE RELUTANTE

A causa da moralidade é tão caótica e tão demente,
que o homem chega a matar sem acreditar piamente naquilo que sente
Escravizando-se desmensuradamente
com democracias ou em qualquer outro tipo de demagogias que lhe confiram sustento...
Para aparar tanta loucura.
A religião mata cruelmente
Politicas torturam até ás entranhas
Filosofias decapitam mentecaptos
E o homem blasfema da teta se a mama já não alimenta... Seca e pervertida de tanto abocanhar

Em tempos a Religião edificou-se para assumir a moralidade.
Filósofos e pensadores refinaram a sua essência.
Mudaram-se os tempos e vieram as politicas para gerenciar (desgovernar) um patrimónieo publico

Os costumes só são hábitos se os acostumares ao logo da posterioridade      

Ainda que não haja fita métrica para medir a unanimidade do ridículo.
Nem fé capaz de assegurar clemência na demente religião
O que prevelecem são as atrocidades
Quase sempre capazes para vandalizar com justiça o benevolente dos cidadãos

Tudo o que inventámos para esconder os nossos medos são hoje casas edificadas ao longo da vasta periferia...

Sem comentários:

Publicar um comentário