sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

CÚMULO DO RIDÍCULO




O ridículo é a arte em que um qualquer conflito nos expõe...
Ser ridículo é tão fácil, tão prático, tão moderno, é barato, tão simples e é mesmo tão ridículo.
Vesti-lo e agasalharmo-nos dele está ao alcance de todos nós. Através de uma discussão, de uma quezília, de uma desinteligencia, de uma falta imensa de sentido de concretização
Para que se entenda com rigor o ridículo basta dar
 como exemplo... e há tanto de ridículo em tudo o que nos rodeia... uma discussão por sms.
Hoje em dia discute - se até por mensagens sublimando o cúmulo da ridicularização.
Discutir por sms está mesmo no top da estupidificação.
Uma mão que grita, que recorre desadequadamente à escrita, ao palavrão, que escreve de forma simplificada mas convicta que umas reticências no final de cada frase é a forma mais correcta e mais bonita para se chegar a uma brilhante conclusão.
Uma mão que escreve e se agita se do outro lado a resposta vier na contra mão.
Uma mão que decide
Uma mão que ilude
Uma mão que verbaliza incapacidade, por falta de atitude
Ésta sempre na palma das mãos, a opção pelo ridículo
Ahhhh...
Que falta me fazem os gritos!
Os gestos imprecisos da fala
O agudo distorcido da voz
O vocabulário embrutecido no tom
O olhar emotivo da alma
A calma distorcida da ponderação

Olhei para o telefone e carreguei na tecla "on" por 2 segundos.
Afinal de contas há momentos em que me desligo, e sem ignorar ao ponto de me tornar ridículo,
hoje apetece-me estar mais comigo
Hoje vou estar "off".

Sem comentários:

Publicar um comentário