sexta-feira, 17 de outubro de 2014

NA CASA DOS SONHOS

"E que tal dar uma pista ?"                                        
Deixou ele a pergunta no ar,
momentos antes de abalar e bater com a porta da rua
"Vou ali e já venho... "
Fociferou mais uma vez para a casa vazia,
como sempre o fazia antes de abraçar o alvoroço da cidade
"Mas se "ojávenho" não me trouxer, fica descansada"
"Seguramente é porque "oali" lá fora, estará muito melhor..."  
E trancava a porta de casa como quem guarda no cofre um segredo,
dos mais previsíveis
 Se um enredo tiver um bom argumento
Os dias serão melodias e as saudades empatias de maravilhosos momentos
Tatuou um dia este rapaz... Rapaz ? Sim rapaz, porque este homem não se permitia comer da apatia dos outros!... estas palavras na pele
Para que o corpo nunca se esquecesse que para sair de si é preciso saltar a fronteira da carne para provar dos sentimentos
E todos os dias voltava para casa com novas histórias    
Muitas delas banais e esquecidas para serem contadas
Mas todas elas emergidas e ampliadas no fofo do algodão de uma nuvem onde deliberados eram guardados os seus sonhos

Sem comentários:

Publicar um comentário