quarta-feira, 29 de outubro de 2014

BROTAR

Um deus que se endeusa não é um deus
Nem o homem é um ser quando se alheia da terra por crer
que em algum lugar existe um entendimento capaz de lhe conferir razão no domínio de um todo
Simbólicos são os dias quando por alegorias acordas pra vida
Sinceros são os momentos quando despertos e atentos dás razão à imensidão libertina do prazer

Perdou-me constantemente quando olho indiferente para um passado que ao longe valorizei
E desejo-me  insistente sempre que presente sou referência na dimensão imensa de um sorriso de alguém

Válidos são os pensamentos quando presentes ramificam distintos a nobreza dos gestos



Sem comentários:

Publicar um comentário