sábado, 15 de dezembro de 2012

MEIA VOLTA

Volta e meia toco em ti
Irrompendo o espaço 
da tua indiferença
Atravessando a exactidão
sem que a distancia prevaleça
Procurando por mim em pedaços teus 
Plantados e materializados 
algures por parte incerta 
Retalhos provados 
Momentos vividos
Histórias de um fado
no tema 
de uma música incompleta

Volta e meia toco em ti
Por entre um sorriso...

Da meia volta que me alimenta
E fico assim a olhar daqui
Inquieto
Que no teu desejo eu prevaleça

Volta e meia volto aqui

e leio as palavras que ao longe te escrevi
Ruborizo aceitando
e prevaleço quieto
Aguardado...

Que por onde quer que estejas 
eu estarei cá
E também aí
Como daquela nossa primeira vez

Sem comentários:

Publicar um comentário