sábado, 15 de julho de 2017

ABRIGO

Nunca abrigues ninguém a um espaço
desabrigado,
onde de ti não és só teu...

Sabe que,
é sempre melhor descansar solto e só do que dormir acompanhado, 
a um corpo frio, triste e dezimado 
por um passado alado e surreal da esperança 

Já fizeste as pazes com o passado?
Se a resposta for afirmativa, abre-lhe a cama e deixa-o (a) abrigar-se a teu lado.
E se no apego das emoções o quarto de noite ficar salgado
Sabe que,
haveram sempre nas manhãs motivos para correr e querer chegar, de volta do trabalho, depressa a casa...

Ir para a cama cedo pode ser o segredo da eterna juventude

Sem comentários:

Enviar um comentário