quinta-feira, 9 de abril de 2015

A MÁQUINA DOS SONHOS

Antigamente as pessoas olhavam mais longe.
Não olhavam tanto para o chão...
Olhavam perifericamente mais ao redor, contemplado o céu e todo seu esplendor construindo sem se aperceberem o seu mundo dos sonhos.
Hoje porém as mesmas pessoas ainda existem, olhando agora mais para um raio entre quatro paredes, insistindo - quase todas elas- em matar as suas sedes, em um monte de escombros virtuais
Certo é que hoje algumas já nem sonham mais!
Doaram o seu viver investindo o seu ser, em nad(a)os irreais
Uma espécie de números onde se calculam a soma das partes, através  das miudezas dos restos
Contudo dizem as más línguas que a máquina já está a ser criada
Para que num futuro próximo ainda possa  vir a ser comercializada.
E de novo o sonho, na alma possa arder...
A máquina dos sonhos!
E o que dantes era contemplado, e inteiramente gratuito
Será num amanhã recriado com um "astuto" e singelo pagamento ao estado, alienado-nos na fonte de abastecer
Dando-nos de novo os sonhos e a possibilidade de alargar a periferia do nosso viver  
Com realizações alucinantes debitadas por cores de mil volts

Sem comentários:

Publicar um comentário