sábado, 26 de janeiro de 2019

MEMÓRIAS


Quando o sentimento se deixa deturpar pela matemática, 
o amor foge para longe escondendo-se com vergonha.
Ao se sobreporem na prática, 
lógicas de sentido 
a juras de um amor eterno.

O mais efermo dos homens 
é com toda a certeza
aquele
em cujo os gestos
não souberam reverter
um passado de indecisões.

E de uma acertada pulsação a intermitentes palpitações
Bate hoje um coração combalido
Fraco
Débil e doente
À porta do seu último grito,
Tudo por um dia não lhe terem dado atenção…
Repercutindo o sentido
Quando ainda havia tempo e uma cura
E tantos desejos por viver

Sem comentários:

Publicar um comentário