sábado, 6 de setembro de 2014

INSENSATEZ

Em torno de um conselho vives tu
Administrando palestras e motivações ancestrais
Provocas a sabedoria dos gurus
com lógicas e fundamentos que lês nos manuais
Porque vais por aí ?
Perguntas-te tu
Não conseguindo esclarecer o concreto
Nessa forma de amortecer o intelecto
por entre os dias que te abafam
E apregoas
motivas e insinuas...
Inusitadamente
Matérias e ilações despropositadas sem vírgulas.
Porque te concedes assim?
Ruminando no pensamento de alguém
Sem buscar nos detalhes as nascentes
por onde correste um dia
Sem motivar a essência de tons e melodias
a reprecurtirem a fidelidade
Dando formas a pensamentos
materializando a liberdade
Que débil ou exacta partirá seguramente um dia
virgem e imaculada, sem deixar saudade
Na terra escura e húmida onde impunes os corpos se deitam

Sem comentários:

Publicar um comentário