sexta-feira, 10 de maio de 2019

PERDOAR




Perdoar é a maior prova de amor que uma relação pode alcançar,
seja ela nesta ou noutra vida.
Perdoar não é para todos, eu bem sei, mas como é fácil de entender,
dignifica...

Distanciaram-se com a mesma rapidez com que um dia se aproximaram...
Intensamente!
Deram-se a provar a outros corpos,
A outro tipo de gente
Prostituindo-se,
numa cegueira sem fim.
Negligenciaram um amor verdadeiro na história das suas vidas.
E hoje na memória, sem estarem bem esquecidas, ainda se lembram um do outro, mas já nada sabem bem de si!

Envelheceram...
Choraram...
Adoeceram...
Com a certeza de que nunca se esqueceriam daquele amor sem fim.
Daquele "amor para a vida" que tanto  se prometeram.
Aquele tipo de amor "de era uma vez"
com pós de "perelim pim pim"
Enfim!


Só depois de se perderem no mundo, já bem tarde e rendidos é que entenderam,
que perdoar é não querer perder.
Perdoar é ter a humildade suficiente de perceber que há tanto amor por dentro incapaz de o asfixiar.
Perdoar é entender que para viver não basta para só estar vivo.
É  acatar que vale a pena ouvir, abraçar, ceder...
É no fundo entender que andar nesta vida a padecer insatisfeito não é viver,  mas sim sobreviver na sua própria cárcere, apresionado a um castigo.

Perdoar é libertar-se.
Perdoar é a maior prova de amor que um homem pode alcançar.
Seja ela qual for a sua medida.

Sem comentários:

Enviar um comentário