sexta-feira, 19 de julho de 2013

DESAFIO

Um dia a espera cansou-se de esperar...
E correu

Correu tão depressa
Que ninguém a viu passar
Fugiu
Enlouqueceu

Furou o tempo zangada
e fez os dias emagrecerem
Com trovoadas
Embrutecidas de ventos
e de lágrimas salgadas

Há quem diga
que a espera de tanto esperar
 levou um presente ao futuro
Ajudando um passado a sair lá do escuro...
A manifestar-se

Naquele dia tudo mudou
A vida deixou de se entregar à morte
O tempo voltou a ser história
E hoje a sorte...
Foi ela quem desapareceu
Fugiu
Correu

Envergonhada de se justificar
Que o desafio
não é esperar a vida de corpo vazio
Nem se abrigar no azar
para se alhear da fé
O desafio esse é...

Desafiar-se para sentir

Sem comentários:

Publicar um comentário