quinta-feira, 30 de agosto de 2012

INSATISFEITO

O que me vale achar
Se ao encontrar-me
Tudo o que paira à minha volta
é incompleto...
Abstracto

O que me vale o sensato
quando o homem é inapto
No seu viver...
Inseguro na sua bravura

O que me vale a compreensão
se vivo num mundo sem fé
Injusto e inexplicável...
Sem razão

O que me vale o pensamento
Se tudo o que sinto por dentro
não cria raízes por fora...
É insatisfeito

O que me vale...
É a palavra
É nela que me rendo
É por ela que me aconselho
e me defendo
Que este é um tempo
Em que o mundo dorme lá fora

Sem comentários:

Enviar um comentário