sábado, 6 de março de 2010

Despertar dos sonhos


O dia flui e o tempo teima a entranhar-se nas artérias,
queixando-se por minutos…
Rasgo certezas e construo duvidas, com a eloquência de quem cega…para apurar o sentido
A minha vara é o arrepio que me conduz

A opção faz o sorriso de uma cara feia ser atraente
Os olhos lavados do sono serem belos
As palavras materializarem o desejo…
Não tenho pretensões de arranjar respostas para tudo
A vida é um jogo e a incógnita é certa
Não mato o tempo na ilusão de o explicar
Viver agarrado ao tempo é não satisfazer as ilusões
È hibernar de olhos abertos

Sentimento,
é o vazio que não se quer mostrar…
Desilusão,
é a verdade que se tem vergonha.
Sou um sonhador…
Gosto de divagar no limiar do impossível, e crer que sou alguém muito diferente do comum dos mortais
"o prazer não aceita desculpas"
O meu sentido desperta dos sonhos

Sem comentários:

Publicar um comentário