quinta-feira, 2 de abril de 2009

Descomplicar


A escrita flui sem sentido em busca de uma ideia que me traga a tona
No vazio de ideias só quero algo interessante
Quero agarrar os leitores com palavras que se encaixem
Busco nas entranhas da minha vivência sabedoria …
alguma luz que traduza…êxito

O querer agradar o próximo é uma obra “envenenada” .
Pensar pela cabeça alheia é como dar conselhos sem se rever neles
É melhor ser reconhecido por quem tu és
do que por tudo aquilo que te imaginam

Elaborar um texto sem pensar no tema
É como viver sem metas

Vou mais fundo, e eis que a ideia surge…

Ter êxito dá uma trabalheira
Só que os demais ofuscam-se nessa luz do reconhecimento
E não somam as horas árduas para o conseguir
Toda e qualquer obra só é “reconhecida” porque está lá muito trabalho
O êxito só o é na verdade se o próprio se rever nele e não nos demais

É nas pequenas coisas que arranjo respostas para as grandes causas
Toda esta contradição é o que nós somos
Seres complexos habituados a complicar
Habituados a querer o que é dos outros
Habituamos-nos com a ideia que, o mais difícil, é o caminho!
Na verdade não nos educamos a “descomplicar”
A dar valor ao que está em nosso redor
A amar o que já temos

E assim rendilho o meu texto
Nem sempre interessante, mas sempre meu!

Sem comentários:

Publicar um comentário